Avenida Voluntários da Pátria, 1168. Possivelmente, se você é membro da IAP em Santana, deve saber que este é o endereço da nossa igreja. Quantas vezes já não saímos de casa para ir até o templo, num dia de culto, celebrarmos juntos ao Senhor. Os mais assíduos, o fazem ao menos três vezes na semana! Mas, porque uma igreja em Santana? Qual a razão de Deus permitir que existamos neste local? Já fez esta pergunta? É sobre ela que quero lhe convidar a pensar.

A melhor pessoa para nos responder a pergunta é o proprietário da igreja. Seu nome: Jesus. A igreja foi criada, edificada, e é sustentada por Ele. Em Mateus 16:18, vemos, Jesus, usando esta palavra pela primeira vez: …edificarei a minha igreja. A maneira com que aplicou a palavra “igreja”, tendo os discípulos ao seu redor, nos dá uma ideia do que ele pensava ser esta comunidade: “um grupo de pessoas que se reúne em torno dele”. A igreja existe por que o sangue de Jesus foi derramado na rude cruz, naquela sombria tarde de quarta-feira. Por isso, todas as vezes que os cristãos se reúnem, como igreja, o fazem para celebrar o que fora crucificado, afinal, existimos por causa dele! Esta é a razão primeira da nossa existência. Todos os dias louvamos ao Senhor individualmente, e, fazemos isto de maneira comunitária quando nos reunimos toda semana!

Além disso, isto é, além da adoração, Jesus também disse algo a mais sobre a razão da existência da igreja, que precisamos considerar. O nosso mestre disse que daria para a igreja “as chaves do reino dos céus” (Mt16:19). Este é um detalhe importante.

Na linguagem bíblica, “chave” sempre é sinal de autoridade. Quem tem as chaves de algo, diz quem entra e quem sai. Mas em que sentido a igreja admite ou recusa a entrada de pessoas no reino de Deus? Conforme sabemos, a igreja não é o reino, mas uma comunidade deste. Em Mateus 21:43, Jesus afirmou que a jurisdição do reino seria tirada de Israel e dada a outro povo que desse seus frutos. Este povo é a igreja. Ela, agora, e não mais Israel, é a comunidade do reino.

As “chaves do reino”, que foram dadas a igreja, representam a autoridade de pregar o evangelho de Cristo (Mt 16:16) e assim abrir a porta de entrada do reino dos céus, permitindo o acesso, para os que ainda não fazem parte do mesmo. A pregação do evangelho, até os dias de hoje, age como graça quando é aceita, e como juízo quando é rejeitada. Desse modo, o posicionamento sobre o anúncio da palavra decide, em última análise, sobre pertencer ao reino dos céus ou ser excluído dele. Quando pregamos, estamos dando oportunidade para as pessoas conhecerem Jesus, se entregarem a Ele, e começarem a fazer parte do reino, do qual a igreja é comunidade.

Não só os apóstolos, mas todos os cristãos possuem essa “chave”, em algum sentido, porque todos podem compartilhar o evangelho com outros, abrindo assim o reino dos céus para os que nele entrarão. Entendeu agora porque existimos? Com Jesus o reino foi inaugurado (Mc 1:15; Mt 12:28). Agora pessoas podem viver de novo para Deus (2 Co 5:15-17). A igreja continua a missão e a pregação de Jesus. Por isso somos chamados de “corpo de Cristo”. Ele foi para o céu, mas o seu “corpo” ficou na terra. Uma das verdades relacionadas a esta metáfora é que a igreja existe para, em submissão à Cristo, o cabeça, continuar a sua obra na terra!

Que as pessoas que moram em Santana olhem para igreja e enxerguem Cristo nela! Que eles reconheçam que somos um povo que vive sob as ordens d’Ele. Com a sua voz e com a sua vida, proclame o evangelho do reino de Deus! Contemos para as pessoas deste bairro, que Jesus se entregou pelos nossos pecados, para nos desarraigar deste mundo perverso (Gl 1:4). Apresentemos o reino de Deus aos que ainda vivem presos pelo Deus deste século, para que engrossemos o número dos que se reúnem conosco para celebrar a Cristo!

A Ele toda glória!

Posts Recentes

DEIXE SEU COMENTÁRIO